Integração de aplicações: como fazer e quais são as vantagens

7 minutos para ler

Hoje em dia é algo bastante comum os processos das organizações passarem por diversas ferramentas distintas, sendo que cada uma delas guarda informações relevantes sobre o negócio. É possível adotar uma abordagem eficiente com o intuito de fazer com que esses dados interajam entre si: a integração de aplicações. 

Devido ao fato de a tecnologia estar se desenvolvendo cada dia mais rapidamente, é comum que uma organização utilize um grande número de sistemas, aplicativos e plataformas. O conceito de EAI (Enterprise Application Integration), ou Integração de Aplicações Corporativas trata da integração entre essas aplicações, processos e sistemas de uma empresa. 

Neste post, falaremos sobre o conceito de integração de aplicações, suas vantagens e de como fazê-la em sua empresa. Continue a leitura! 

O que é integração de aplicações?

A integração de aplicações nada mais é que uma forma de unificar duas funções diferentes em apenas um único processo, fazendo com que as informações entre elas fluam em tempo real. 

Normalmente, a integração de aplicações é iniciada por um evento. Um exemplo disso é um cliente fazendo o pagamento de uma compra, esses dados vão do software de pagamento para o software de gestão de entregas ou para o CRM, que comunicará ao armazém que deverá embalar e também despachar o pedido feito. 

Algo essencial que devemos frisar é que na integração de aplicações a transformação dos dados precisa acontecer antes do envio dos dados para o seu destino, pois nem sempre haverá campos equivalentes nos dois sistemas, ou os mesmos aceitarão no mesmo formato os dados relativos. Essa transformação terá o objetivo de preparar os que virão da origem para o destino com o formato adequado. 

Quais as suas vantagens?

Vamos analisar agora algumas das principais vantagens da integração de aplicações. 

Otimização dos processos e aumento de produtividade

A implementação de uma abordagem estruturada de integração de aplicações apresenta ligação direta com a maximização da produtividade e qualidade dos serviços oferecidos. Assim, ao simplificar a gestão de processos de uma organização faz com que as informações fiquem menos redundantes e evita o retrabalho. Inclusive, este trabalho ainda facilita a disponibilização de dados e indicadores de qualidade sobre os processos de forma mais confiável, simplificando a tomada de decisões estratégicas e análises em tempo real.

Redução de custos de implementação e manutenção

Possuindo resolução de erros, sistema de integração mais funcional, gastos com manutenção e treinamento de colaboradores são minimizados. O fato é que um sistema integrado trabalha na maximização da produtividade, quando reduz a utilização de recursos múltiplos, fazendo a identificação e prevenção de ineficiências e desperdícios dentro do fluxo de trabalho. 

Organizações focadas em automação de processos e minimização de custos normalmente calculam o aumento de produtividade com a minimização da utilização de sistemas, por meio de integrações

Automação de processos internos

Quando é substituído o trabalho manual por automação de processos, a organização minimiza a burocracia, ao mesmo tempo em que ganha eficiência, segurança, agilidade e possibilidade de fazer o acompanhamento e o controle de resultados com mais precisão. 

A automação também possibilita criar um sistema de dados comum, a partir dos bancos de dados de todos os departamentos que estão em uma empresa, como o estoque e a contabilidade. Isso viabiliza uma comunicação muito mais ágil, eficiente e articulada, interna e externamente. 

Segurança das informações

Ao fazer investimentos na integração de plataformas é possível maximizar a segurança dos dados e informações disponíveis acerca do negócio. Primeiramente, devido ao fato de ser quase excluída a chance de erro humano. Depois, em virtude de todas as informações serem geradas por um sistema, evitando assim a chance de serem manipuladas ou alteradas. 

Isso faz com que haja mais segurança e veracidade ao que é realmente relevante para o crescimento da empresa. Afinal de contas, faz a junção de dados fiéis que são gerados por diversas plataformas, sobre os processos empresariais e, com o passar do tempo, disponibiliza uma base de dados mais estruturada para apoiar as tomadas de decisões

Como é possível fazê-las?

Veja agora como fazer a integração de aplicações da forma correta! 

Alinhe tecnologia e estratégia

O primeiro passo para unificar sistemas do modo correto é o alinhamento de estratégias entre o setor de TI e outros setores da organização. É essencial que todos os departamentos atuem juntos enquanto é feita a integração de sistemas, minimizando conflitos e assegurando que essa rotina seja realizada da melhor maneira possível. 

O fato é que será mais simples para o setor de TI determinar quais devem ser as aplicações a serem integradas, quando todos atuarem de maneira integrada, trocando dados sobre metas e objetivos operacionais.

Mapeie os processos internos

Outro elemento relevante com o intuito de que o direcionamento da integração de sistemas seja o melhor possível é o mapeamento de processos. Com todas as aplicações e as rotinas internas mapeadas, a empresa pode analisar o melhor meio de integrar as suas aplicações. Assim, será possível ter uma ampla visão sobre a forma como foram estruturados os processos e quais aplicações devem compartilhar dados. 

Conheça os dados acerca da performance e o perfil de TI da empresa

Caso seja baixo o desempenho da infraestrutura, a organização terá que lidar com uma grande quantidade de gargalos que causam impacto negativo no desempenho das suas operações. Logo, o ideal é buscar informações acerca das soluções para o que não tem bom funcionamento e, dessa forma, nortear a estratégia de integração da forma correta. 

Além disso, é essencial conhecer o perfil de TI da sua empresa. É necessário que se avalie de modo correto como os dispositivos estão organizados, com o objetivo de realizar uma integração assertiva, visto que, se esse processo não ocorrer bem poderá prejudicar inúmeras aplicações. 

Avalie as soluções disponíveis

É muito importante que antes de começar o processo de integração, seja feita a avaliação das alternativas disponíveis no mercado. É essencial que a ferramenta escolhida fique bem alinhada com o perfil da organização e apresente recursos que sejam compatíveis com a infraestrutura do negócio. Inclusive, a empresa deve optar por uma solução com um excelente suporte de usuário e controles de segurança eficazes. 

Treine usuários

Um elemento importante para que qualquer projeto de TI funcione bem é realizar o treinamento de usuários. Quando forem integrados novos sistemas, os gestores precisam criar uma rotina de treinamentos e cursos, para assegurar que todos os usuários possam fazer a integração de novos recursos a uma rotina da empresa. 

Por fim, é possível compreender que a integração de aplicações é uma função essencial para quem está procurando maximizar a produtividade da organização. Com a integração, os processos internos se tornam mais simples, a comunicação entre funcionários e até mesmo do sistema fica mais eficiente, além de minimizar gastos. 

Você curtiu nosso post? Então, leia também “Etapas do desenvolvimento de software: entenda os bastidores da sua produção” e fique bem informado!

Posts relacionados

Deixe um comentário