Desenvolvedor Full Stack: veja neste artigo tudo o que você precisa saber

6 minutos para ler

Com o avanço cada vez mais rápido da tecnologia, a busca por profissionais que conseguem ser versáteis e multidisciplinares cresce cada vez mais. Dentro desse cenário, o desenvolvedor Full Stack ganha uma atenção especial. 

Isso porque ele é um profissional que está apto para trabalhar tanto no Front End, como em Back End, além de conseguir entender, preparar, receber ou entregar qualquer projeto de maneira completa com pouca ou nenhuma necessidade de outros profissionais de desenvolvimento. 

Por isso, o desenvolvedor Full Stack é um profissional que exerce funções de extrema importância em uma empresa ou fábrica de desenvolvimento de softwares. Vamos conhecer mais sobre essa atividade, continue a leitura. 

Como surgiu essa profissão? 

Não existe um “inventor” para a profissão de desenvolvedor Full Stack. Afinal, ela começou a se desenvolver com o tempo e conforme a tecnologia avançava. 

Alguns registros mostram que essa profissão começou durante a década de 1990, momento em que o desenvolvimento de software voltado para plataforma web começou a se popularizar.  Com o tempo, as empresas começaram a refinar o processo de desenvolvimento e uma separação natural do Front End e Back End teve início.  

Com a natural especialização de desenvolvedores em Front End e Back End, os profissionais qualificados, sem preferência específica e que geralmente ajudam em processos de conexão entre as duas camadas foram surgindo, pois, tinham uma visão e conhecimentos mais completos dos fluxos de desenvolvimento voltado para web. 

Daí, os profissionais que passaram a desenvolver uma visão bem ampla em cima de um projeto de web, ficaram conhecidos como Desenvolvedores Full Stack, remetendo à ideia de que eles conhecem um pouco de todo o processo de projetos web. 

O que faz um Desenvolvedor Full Stack? 

É um profissional que precisa conhecer todos os processos, para conseguir acompanhar o desenvolvimento do começo ao fim. Por isso, a maioria das empresas que atuam com produtos tecnológicos estão muito interessadas em contratar profissionais qualificados que atuam dentro dessa categoria de desenvolvimento.  

Mas, além de precisar ter todo esse conhecimento técnico, o desenvolvedor full stack também precisa se dar bem com as habilidades pessoais. Afinal de contas, no geral, as atividades diárias podem envolver alguma pressão, e o profissional precisa de constantes atualizações para executar o trabalho da maneira mais eficiente possível. 

De forma geral, ele vai atuar em front-end (com interface e UX, por exemplo), ou em back-end (na parte de banco de dados, programação, servidores etc.). 

Qual o salário? 

Os salários para esse cargo variam bastante de empresa para empresa, e de acordo com o nível da vaga, isto é, o nível de senioridade. Por exemplo, para estagiários, as bolsas de estágio normalmente ficam entre ½ salário a 1 salário mínimo. Enquanto que para cargos mais elevados, ele costuma ficar entre R$4.000,00 e R$8.000,00. 

Já em empresas grandes e multinacionais, existem oportunidades de vagas para o nível sênior que chegam a pagar R$20.000,00. Vale ressaltar que quanto maior for o nível de conhecimento do profissional desenvolvedor full stack, maiores são as chances de crescer e conseguir oportunidades que pagam mais. 

Características de um Desenvolvedor Full Stack 

Até então, comentamos um pouco sobre as habilidades que um desenvolvedor Full Stack precisa ter para alcançar o sucesso dentro dessa área. Dessa forma, um profissional precisa ser capaz de sempre estar atento às atualizações mais recentes dentro da área de TI.  

Além disso, um bom profissional Full Stack precisa conseguir se adaptar facilmente às situações e conseguir desenvolver com facilidade funcionalidades de front-end e back-end, o que geralmente exige o conhecimento em mais de uma linguagem de programação. É geralmente exigido maior capacidade de entendimento de negócio de uma forma mais ampla atento ao que o usuário final vai usar e aos processos desencadeados nos projetos por conta dessa utilização. 

A grande característica desses profissionais e o seu grande diferencial é, justamente, conhecer um pouco de todas as partes desses processos, o que os permite trabalhar do início ao fim em um projeto e/ou em uma determinada funcionalidade.  

Como se tornar um Full Stack? É necessário ter algum curso específico? 

Atualmente, existem vários cursos de nível superior que garantem o conhecimento necessário para que uma pessoa se torne um desenvolvedor Full Stack. Dessa forma, não é necessário cursar uma faculdade em específico para atuar na área. 

Os interessados em seguir essa carreira, podem optar por cursos tais como: engenharia de software, engenharia da computação ou ciências da computação. Além disso, existem outros cursos avulsos e tecnólogos que também permitem desenvolver as habilidades necessárias para trabalhar como um desenvolvedor Full Stack.  

E caso você ainda esteja em dúvida se a área é a ideal para você, recomendamos fazer alguns cursos gratuitos específicos com essa temática. Assim, fica mais fácil verificar se realmente é o que você espera ou não. 

Mercado de trabalho para Desenvolvedor Full Stack 

Mas, e o mercado de trabalho para desenvolvedor full stack, como está? Quais são as projeções? Com o crescimento da tecnologia em todos os tipos de empresa, os profissionais da área estão cada vez mais sendo requisitados, tanto em negócios industriais, como em negócios que atuam no segmento varejista. 

De acordo com um estudo feito pelo Tecnoblog, com a pandemia da Covid-19, o desenvolvedor full stack se tornou o profissional da área de TI mais procurado do mercado. Aliás, as expectativas para os próximos anos é que essa tendência se mantenha por um bom tempo. 

A verdade é que os desenvolvedores full stack possuem uma gama de conhecimento muito ampla. Isso permite que eles atuem em diversas áreas de desenvolvimento de software dentro de uma empresa, e consigam se adaptar rapidamente às novas necessidades do mercado. Por isso, um desenvolvedor full stack poderá usufruir de um mercado cheio de possibilidades por muito tempo ainda, valendo muito a pena investir na área, enquanto TI continua sendo um dos maiores focos de crescimento do mercado mundial. 

Gostou do conteúdo? Não deixe de seguir as nossas redes sociais Instagram, Youtube e LinkedIn para ficar informado sobre o universo da tecnologia.

Posts relacionados

Deixe um comentário